domingo, 28 de fevereiro de 2010

      Estou de volta.
      E isso não foi tudo que a pesquisadora Lúcia Pittol descobriu. Ela também constatou que quando combinamos as 7,7 toneladas por hectare do lodo com 28 Kg por hectare de fósforo, sem o nitrogênio, o volume de madeira obtido foi estimado em 162 metros cúbicos por hectare. Com isso podemos concluir que a adição de lodo de esgotoao plantio aumentou a produção de madeira e diminuiu a quantidade de adubo mineral necessária na plantação. E como se já não fosse sufuciente, o solo que é tratado com essa mistura apresenta um aumento de zinco, magnésio cobre e ferro, e a biomassa da planta (lenho, casca, galho e folha) também apresentão esse aumento.
      Uma dúvida que pode ter surgido na sua cabeça é: mais o lodo de esgoto não contaminou o solo com todos os poluentes que são descartados todos os dias? A resposta é não, de acordo com a agrônoma, o experimento "manteve também a sustentabilidade do ecossistema, uma vez que o lodo de esgoto não causou a contaminação do sistema solo-planta". Alem de tudo isso, ela também destaca o custo-benefício da utilização do lodo na adubação. "O objetivo sempre foi conseguir um aumento na produção de madeira para papel e celulose. E com a aplicação do lodo acreditamos poder diminuir o custo da produção com fertilizante químico".

Nenhum comentário:

Postar um comentário